segunda-feira, 19 de maio de 2008

Restos de fim de semana complicado

Meu final de semana continuou confuso depois de sábado a noite. Terminei a noite numa festa de bodas de ouro, tipo de evento que você só participa quando quem comemora são os pais de um dos seus melhores amigos.
E como está cada vez mais escassa essa raça de "melhores amigos", lá fui eu, escoltado por Laura, Luisa e Chicó.
Como sempre acontece nessas solenidades, estava deslocado, alienado, perdido. Até que uma boa alma me acolheu à sua mesa e fiquei ali de conversa pouco útil do tipo "como vai a família?", etc etc.
O bom da festa: o discurso leve de uma das filhas do casal, o fato de só terem convidado a família e os amigos mais chegados (aliviou uma possível síndrome do pânico), e a comida farta e de boa qualidade.
E mais: uma crooner desfilando o repertório completo de Benito di Paula e aqueles bolerões de zona, e canções previsíveis dos anos 80 (já tinha confortavelmente deletado Reluz, Marcos Sabino da minha memória, Mas Raquel, a crooner fez questão de me lembrar)
Saí de lá meia noite e como perdi a hora de dormir, acabei custando a pegar no sono e dormi mau.

Péssimo sábado para dormir mal, pois tive que organizar a volta para Niterói no domingo com minha mãe e as meninas, que vieram passar a semana e o feriado comigo É sempre um acúmulo sobrehumano de malas, bolsas, cobertores, compras na Sendas para o abastecimento caseiro da semana, motivos de sobra para aumentar a irritabilidade de quem dormiu mal.

Tenho tentado lidar com minha irritabilidade (quando ela acontece, o que tem sido raro) da forma mais natural possível ou seja: guardo ela só prá mim, procuro não descarregá-la em ninguém, mas às vezes sobra. Luisa não gosta de me ver assim, veio brigar comigo. Sublimo, sublimo, sublimo. Mas não sublimei o sujeito fazendo gesto no estacionamento do supermercado como se eu estivesse atrapalhando a vida dele. Fiz como a Kate aí em cima. Luisa não gostou.
Pra completar o domingo, o time mirim do Fluminense se espojou na lama e perdeu para o Náutico em casa. Depois vai buscar esse resultado aonde? O Fluminense anda jogando mal sempre. Poupar o quê????? Fora Renato Gaúcho!
O dia caiu sobre a cidade. É segunda?? Espero que não!!

Nenhum comentário:

Fragmentos

"Eurico Alves, poeta baiano, Salpicado de orvalho, leite cru e tenro cocô de cabrito. Sinto muito, mas não posso ir a Feira de...