terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Cinco filmes em 2014

Relatos selvagens - antologia argentina de humor negro.
Ela - Joaquin Phoenix e a solidão do século.
Nebraska - devia ter levado o Oscar.
O lobo de Wall Street - show de DiCaprio e Scorcese.
A caça - tenso, difícil, bom para nervos frágeis.

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Eu já te falei de tudo, mas tudo isso é pouco diante do que sinto

O amor bateu no Largo da Segunda Feira neste final de semana. Veio tijucano, veio salgueirense, veio novo de novo. O amor veio úmido. com seus cheiros e seus sabores. 
O amor estava meio estacionado no tempo da Rua Delgado de Carvalho, mas neste fim de semana, rompeu as portas do apartamento 504,  e apressou-se em gritar "estou vivo", ainda é pele e sentimento.
Depois de três anos, o amor quis aprontar mais uma e chegou de novo como se fosse começo, como se fossem as conversas apaixonadas do velho centro, as noites niteroienses, o show do Geraldo Azevedo.
Mas dessa vez o amor estava em sua própria casa, construída com dor e prazer, e quis muito estar ali. 
O amor voltou ao velho cinema em Botafogo, tomou café no bistrô, andou de mãos dadas pelas ruas, fez inveja nos passantes que olhavam curiosos.
O amor hibernado, acordou do sono e saltou para os olhos, para as bocas, para os corações aflitos.
O amor renovou seus votos, ultrapassou seus limites, reafirmou seus encantos.
Como se um vento forte passasse e transmitisse em ondas curtas toda a intensidade e eternidade do amor.

quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

Desmemórias

"Veio me dizer que eu desestruturo a linguagem. Eu desestruturo a linguagem? Vejamos: eu estou bem sentado num lugar. Vem uma palavra e tira o lugar debaixo de mim. Tira o lugar em que eu estava sentado. Eu não fazia nada para que uma palavra me desalojasse daquele lugar. E eu nem atrapalhava a passagem de ninguém. Ao retirar debaixo de mim o lugar, eu desaprumei. Ali só havia um grilo com sua flauta de couro. O grilo feridava o silencio. Os moradores do lugar se queixam do grilo. Veio uma palavra e retirou o grilo da flauta. Agora eu pergunto: quem desestruturou a linguagem? Fui eu ou foram as palavras? E o lugar que retiraram debaixo de mim? Não era para terem retirado a mim do lugar? Foram as palavras pois que desestruturaram a linguagem. E não eu."

Manoel de Barros

Pelejei a noite toda pra lembrar do nome do ator que interpreta Nuck Thompson em Boardwalk Empire. De madrugada, dei uma googlada e estava lá tão óbvio: o mesmo Steve Busceni das cinco temporadas encerradas esse ano. Esses remédios para insônia estão antecipando meu alzheimer em muitos anos. Aprendi com Steve ontem em São Paulo que "estamos velhos, mas estamos vivos". Enquanto gira o Mundo bizarro.
São Paulo é um oásis nessa época do ano. Só de não precisar ligar o ar de noite no hotel, já renova minhas esperanças com a humanidade.
A foto da semana do Globo era de uma menininha de 5 anos tomando banho na água lamacenta do centro do Rio. Não vi a foto, mas li a crônica de Zuenir Ventura: mesmo que ver a foto com a nítida perfeição. Os olhos secos marejaram de novo.
Já não consigo mais misturar Miracema com minha família atual. Quando vou com eles, me confundo todo. Tento agradar e ao mesmo tempo aproveitar do menino que fui. A paga é sempre dormir mal. Dormi muito mal esses dias.
E no entanto, Lucas já parece um menininho miracemense. Se esbalda na piscininha, já anda com desenvoltura pela casa, já come o macarrão da Diô, já se diverte com os picolés e os bodes da cidade.  
A programação foi a mesma de sempre: Sabor e Arte na sexta, Bunda de Fora no sábado, pizza no domingo. Não há muito mais o que fazer na cidade. 
Cardisplicente como Maria, dei férias ao alface e ao tomate, mas preciso urgentemente que voltem.

sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Meu harman kardon

Custou 600 dólares. É difícil atribuir valor a um quase membro da família, uma espécie de cão sonoro. Está comigo desde a minha primeira incursão a um free shop ainda no século passado. Já morou em Altamiro, Niterói, na Rua das Flores em Miracema e em Odete Lima, onde o seu som alto corroía o silêncio de patos e gansos. Acompanhou a construção de todas as canções de afeto, tocadas à exaustão nos seus falantes. Fez festa quando eu fiz cinquenta anos, e uma seleção de forrós e boleros chulos inundou o coreto da casa. Conheceu mulheres, amigos, era o estepe quando o pessoal do choro cansava de tocar. Nos intervalos das grandes vitórias do Fluminense, tocava a plenos pulmões. Foi minha primeira audição de Ludovico Einaudi, Ildo Lobo, Françoise Hardy, Kléber Albuquerque. Ficou um tempo esquecido porque outros tentaram ocupar seu lugar, mas sempre voltava. Era um apaixonado por música alta. Agora sibila cansado no canto da casa. Parece irremediavelmente velho como seu dono.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Cinco discos que bateram na trave dos mais ouvidos em 2014

Itinerário, Rodrigo Maranhão - certamente o disco mais brasileiro do ano. Arranjos sofisticados e simples, trazendo de volta os velhos salões. Destaque para fuzuê, flor do cajueiro e madrugada.
Fado com outro acento, Maria do Ceo - adoro a galega. Esse disco de 2012 só entrou em outubro desse ano graças ao Itunes. Desde lá, não saiu mais.
De nada mais a algo além, Arrigo Barnabé, Luiz Tatit e Livia Nestrovski - vai se gostando aos poucos e logo toma conta. O verde louro papagaio é mais uma descoberta obra prima de Luiz Tatit.
Água lusa, Jussara Silveira - fiz alguma restrição aos últimos discos e Jussara por causa de um ou outro repertório. Não esse. As canções portuguesas soam deliciosas na sua voz.
Canto sagrado, Fabiana Cozza - excepcional tributo à Clara Nunes, merecia atenção maior, pois tem forte apelo popular.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Apaixonado por Alice Caymmi

Será que Dori ouviu? Uma coisa cheia de letras vulgares, orgasmos múltiplos e pirotecnias eletrônicas!??!
Pois bem,  eu gostei muito do disco. Que fazer com Francisco Lima, que chega aos 53 e ainda consegue se apaixonar por bobagens. O Almeida certamente condenará. A Gonçalves, então, deixará de ler o blog para sempre.
O que me encantou? De cara, um Meu Mundo caiu de fazer Maysa rolar no túmulo de satisfeita. Foi meu primeiro alumbramento do disco. Está destacada na Canção de Afeto 33.
Um acerto as três canções obscuras do repertório de Caetano, inclusive os supracitados orgasmos, que eu também invejo. Para o próximo, sugiro Odeio e Não me arrependo de você, menos obscuras, mas que cairiam como luvas na voz lambida de Alice.
Meu recado, de Sullivan e Alice, serve pra qualquer antologia de brega chique que se preze.
Gostei de Princesa e do arranjo Morricone de Antes de tudo.
Bom, são só nove músicas e por mais apaixonado que seja, nunca vou conseguir entender a inclusão de Sou rebelde, mas ela tem crédito.
E assim somam-se os dias,
Passeio pela Paulista de mãos dadas com o amor e de noite. Lembro dos faróis de Gudin e Vania Bastos.

Não se atravessa a Hadock Lobo pela direita

Definitivamente A Força do Querer não foi uma unanimidade. Ainda mais concorrendo com o terceiro episódio da décima temporada de Segura a O...