sexta-feira, 16 de maio de 2008

Solvitur ambulando

Sexta-feira, 22:30 de um dia bastante intenso. Comecei revendo As Invasões Bárbaras, numa sessão pipoca para gerentes da empresa. Revi pela terceira vez. Comoveu-me pela terceira vez, embora ainda não saiba quais sejam as reais invasões retratadas na película. Além de tudo, é um retrato cru do sistema de saúde canadense, importante para quem lida com gestão de saúde.

Depois do almoço, peguei a estrada. Quatro horas ouvindo Bethânia, Dori, Rosa Passos, Sabina.

Numa das transversais da Rua Florida em Buenos Aires tem uma loja de cds chamada Tango. Foi lá que conheci Joaquin Sabina. Não, não é um cantor de tangos. É meio que uma mistura de ritmos latinos com rock, um pouco de Dylan, um pouco de Paco, um pouco de Serrat. Gostei do cara.

Cheguei em Miracema no fim da tarde, peguei Luisa e fomos jantar com Mário e Marila. Finalmente conseguimos conversar alguma coisa, longe dos barulhos do nosso última encontro. Boa cerveja. boa carne, boa conversa. Definitivamente, o Sebastião Bunda de Fora é a melhor e talvez a única opção nas noites miracemenses.

Luisa dorme serena e é muito lindo vê-la dormir assim. Boa noite.

Nenhum comentário:

Não sei o que meu corpo habita nessas noites quentes de verão

Fui a Baltimore. Um dos motivos extraordinários foi conhecer a Barnes e Noble de lá. Que decepção! Parece mais uma Saraiva compungida...