quinta-feira, 6 de novembro de 2008

O apreço não tem preço


Um bando de amigos trabalhando junto é mais ou menos isso aí. E quando acontece essa raridade de se encontrarem, que seja para uma reunião de trabalho, é muito bom. É gente com a qual eu já me entendo por gestos, nem precisa de palavras. Gente que carrega o Estado com trabalho honesto e talento para lidar com os limites entre a boa prática e a administração de custos.
Olhando com cuidado, é possível observar entre o Ney e eu, o Sylvio Bailarina com uma auréola na cabeça, reclamando: vou mandar chuva pra glosar esse banquete! E não deu outra: choveu a tarde toda!
Comemoramos assim mesmo, com chuva e muitos mini-bifes numa churrascaria da Rua do Rosário!

Nenhum comentário:

Não sei o que meu corpo habita nessas noites quentes de verão

Fui a Baltimore. Um dos motivos extraordinários foi conhecer a Barnes e Noble de lá. Que decepção! Parece mais uma Saraiva compungida...