quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Os filmes B e os anti-eméticos

Chego à conclusão definitiva de que os anti-eméticos de ação central são potenciais depressores, pelo menos pra mim. Ontem, depois de passar o dia em curso (curso = café, coffe break, almoço, lanche, doce, o dia inteiro), cheguei em casa e mandei uma bromoprida. Meia hora depois quase tentei enfiar a cabeça no vaso e dar descarga.
..................................................................................
Bom, tenho que confessar, eu também comecei a ver Os Fora da Lei, um filme inglês no estilo vingança com as próprias mãos. O filme foi me deprimindo a medida que a bromoprida fazia efeito, de forma que ainda que insistisse para ver aquilo, ia me deprimindo cada vez mais. Cheguei à metade. O resto, não conto.
...................................................................................
Bom, tenho que confessar também que meu amigo Cláudio tentou me empurrar os discos da Cecília Dale com Roberto Menescal. Claro, não comprei, mas mesmo assim, fiquei deprimido.
....................................................................................
Chego à conclusão definitiva de que os filmes ingleses do tipo B, os anti-eméticos de ação central e os discos da Cecília Dale são potencialmente suicidas. Quando combinados, são tiro certo! Boa noite, Renatinha.

Nenhum comentário:

Fragmentos

"Eurico Alves, poeta baiano, Salpicado de orvalho, leite cru e tenro cocô de cabrito. Sinto muito, mas não posso ir a Feira de...